msg life ag - Logo

Seguradoras a caminho da cloud

A rede digital é uma das tendências mais poderosas da atualidade – para consumidores, mas acima de tudo para empresas. E é claro que isso também se aplica ao setor de seguros. Enquanto o cenário fintech perturba os modelos de negócios do setor de serviços financeiros, as insurgentes insurtechs trazem novas ideias digitais para o mercado de seguros, o que leva a que as seguradoras conduzam as suas estratégias digitais com mais rapidez. A computação em nuvem (cloud computing) desempenha um papel importante como um componente vital da estratégia de digitalização.

Na computação em nuvem, aplicativos, serviços e dados não são instalados em nenhum computador local, mas são fornecidos como um serviço, por meio de uma nuvem privada ou pública. Enquanto as nuvens privadas são executadas nos próprios servidores ou data centers da empresa, as nuvens públicas são hospedadas por provedores externos. Os usuários não compram mais TI na forma de software ou servidores – simplesmente alugam.

Estratégia de digitalização: as seguradoras dependem de soluções em nuvem

A TI baseada na nuvem difundiu-se há algum tempo: de acordo com Cloud Monitor 2018, um estudo recente realizado pela Bitkom Research em nome da KPMG, duas de três empresas já usavam serviços de computação baseada na nuvem em 2017. “Computação na nuvem ajuda as empresas, de diferentes dimensões, a superar os desafios da digitalização. Isso tornou-se amplamente reconhecido”, explicou Dr. Axel Pols, Diretor da Bitkom Research, ao apresentar os resultados do estudo na Cebit. De acordo com um estudo da Gartner de 2018 (1), em 2021 cerca de 90% das organizações usarão os serviços de “nuvem”. Além disso, de acordo com uma análise da Bain e do Google (2), os principais impulsionadores da inovação na indústria de seguros contarão com a computação em nuvem. Isso significa que a maioria das seguradoras já começou a migrar gradualmente elementos da sua infraestrutura de TI e aplicativos para a nuvem e agora prefere adquirir novos serviços e aplicativos de infraestrutura da nuvem. O que as seguradoras consideram particularmente interessante é a Internet de serviços, acima de tudo software como serviço (SaaS): os modelos de licenciamento SaaS dão aos utilizadores acesso a software via Internet – eles pagam uma taxa para cobrir o uso e operação, o que em alguns casos economiza na aquisição e despesas operacionais.

Económico e com planeamento

Além da flexibilidade e agilidade de time to market, os aspectos económicos são fatores de crucial importância para o modelo SaaS. Atualmente, as seguradoras precisam adaptar constantemente os seus produtos e serviços para responder às novas exigências regulatórias. Além disso, as taxas de juros dificilmente geram retorno, as seguradoras enfrentam cada vez mais pressão de custos e a concorrência é ainda mais exigente. E é também por isso que as seguradoras devem cortar custos! As ofertas de SaaS podem ajudar nesta missão pois o seu potencial, especialmente em termos de redução de custos e controlo, produtividade e tempos de reação. O uso de SaaS pode reduzir substancialmente o custo de TI. Não há necessidade investimentos elevados em hardware e software.

A economia só é compensada pelos custos variáveis de uso efetivo dos serviços. A remuneração baseada no uso forma, por exemplo, um contrato de preço anual por apólice (PpP) oferece uma série de vantagens tanto para o fornecedor de SaaS quanto para as seguradoras. Os custos são aplicados apenas para os contratos que são realmente geridos no sistema. A remuneração baseada na utilização (e indiretamente nos lucros) é uma alternativa inovadora, justa e excepcionalmente colaborativa aos modelos de remuneração que existem atualmente no mercado. Além disso, como os custos fixos por contrato são conhecidos, o utilizador de SaaS desfruta de confiabilidade de planeamento por um longo período de tempo. As seguradoras de pequena e média dimensão também podem lucrar, pois podem participar de sistemas complexos de acordo com as suas necessidades e sem a necessidade de grandes investimentos de risco.

E não é tudo: o trabalho de manutenção e administração não é mais necessário, o que permite que as empresas se concentrem ainda mais no seu negócio e serviços que as diferenciam da concorrência. Além disso, o SaaS oferece grande flexibilidade, uma vez que cada serviço pode ser fornecido separadamente e adaptado precisamente aos requisitos do cliente.

Dados disponíveis em todo o território

Olhando para a gestão de relacionamento com o cliente (CRM), há novamente uma tendência clara para a computação em nuvem: De acordo com um estudo dos analistas da MUUUH! Consulting in 2018, sete em cada dez empresas atualmente usam soluções de CRM na nuvem ou planeam fazê-lo num futuro próximo. A vantagem é que, dependendo dos direitos de acesso, colaboradores, corretores e clientes podem recuperar dados rapidamente no escritório, na estrada ou em casa – e em todo o território.

Entre os critérios mais importantes ao decidir a favor ou contra as soluções em nuvem estão a proteção de dados, segurança de dados, padronização e local de armazenamento. Porque nos setores financeiro e de seguros, muitos países têm regras rígidas sobre onde os dados do cliente podem ser armazenados e quem pode ter acesso a eles. Portanto, as soluções de segurança para a nuvem devem atender a requisitos adicionais, além daqueles que se aplicam às soluções convencionais. As seguradoras devem, assim, escolher apenas soluções em nuvem e arquiteturas de software que atendam aos seus padrões e especificações em termos de segurança, conformidade, gestão de de risco e integração de dados.

Segurança, flexibilidade e ajuste às suas necessidades

O conjunto de soluções proposto pela msg life (Sistemas Modulares Unificados) é o seu ponto de entrada para a nuvem: estas plataformas holísticas desenvolvidas para o negócio segurador, exploram as vantagens de computação em nuvem de forma consistente e oferecem os mais altos padrões de qualidade e segurança ao mesmo tempo.

A Plataforma de Produto Unificada (UPP) é uma solução que ajuda as seguradoras a melhorar a eficiência de operação e distribuição. Ao habilitar a rápida configuração e classificação de produto, esta solução permite segmentar, aplicar preços personalizados e lançar os produtos rapidamente no mercado.

A Plataforma de Distribuição Unificada (UDP) é uma plataforma Omnichannel de seguros, de fácil integração no ecossistemas de TI da seguradora, permitindo a digitalização dos seus processos de vendas e subscrição, enquanto se integra com ativos de TI existentes (Front-End, Back-End, CRM …).

A Plataforma Unificada de Administração (UAP) é a resposta para sistemas rígidos, complexos e desatualizados que desaceleram e paralisam os processos de negócios no setor de seguros. Esta solução cobre os processos de administração de seguros de Vida, Saúde e P&C.

As plataformas unificadas da msg life podem ser executadas como soluções em nuvem num ambiente de alto desempenho, seja como módulos individuais ou como uma plataforma inteira, cobrindo todo o ciclo de vida do seguro, e beneficiam a sua seguradora com as vantagens das soluções e serviços disponibilizados em nuvem.

Referências:

  • (1) Gartner Study: https://siliconangle.com/2018/04/12/public-cloud-services-market-hit-302bn-2021-gartner-says
  • (2) Bain & Google:bain.com/insights/digitalization-in-insurance

Índice

SE PRECISAR DE MAIS INFORMAÇÃO

Entre em contacto.
Responderemos assim que possível!

Mais informações?